Noticias

Imprimir

Sete perguntas que você pode estar se fazndo sobre a greve geral

Ligado . Publicado em Notícias

 

 Adaptado do texto do jornalista Caio Zinet.

Não se deixe enganar. A Greve Geral é em defesa dos nossos direitos!

1 - Vai ter greve geral no dia 28 de abril? 

Sim. Vai ter greve geral contra a Reforma da Previdência que quer acabar com o direito à aposentadoria para milhões de brasileiros, contra a Reforma Trabalhista que quer te fazer trabalhar 12 horas por dia e contra os demais ataques do governo. Alguns setores que apoiam o governo TEMER e suas Reformas como o Movimento Brasil Livre tentam confundir a população, dizendo que não haverá greve e divulgando várias inverdades sobre as reais pautas do movimento. 

  2 - A greve é em defesa do Lula? 

Não. A greve geral é uma movimentação de todas as centrais sindicais e de milhares de trabalhadores contra as reformas da previdência e trabalhista. 

3 - Porque a greve não acontecerá no primeiro de maio? 

Porque é um feriado. O intuito de toda e qualquer greve é demonstrar força e chamar a atenção da sociedade. É um direito democrático de todo trabalhador previsto, inclusive, na constituição.

4 - Dia 28 é manifestação de quem apoia bandido? 

Não. A greve geral é contra a reforma da previdência e a trabalhista proposta por um governo com 8 ministros indiciados pela Lava Jato e que será votada deputados e senadores igualmente indiciados e que já estão negociando o voto nas reformas em troca de cargos de alto escalão nos órgãos públicos, verbas pra emendas parlamentares dentre outros. Trata-se de uma manifestação dos trabalhadores que não acreditam esse congresso corrupto envolvido na Lava Jato até as tampas tem legitimidade para aprovar reformas que impactarão tanto a sociedade.

5 - A greve geral é legal? 

Sim. O artigo 9 da constituição prevê "É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender". Além do mais, o Ministério Público do Trabalho emitiu comunicado reafirmando a legalidade da greve e se posicionando contra a reforma.

6- A greve geral é porque os sindicatos não querem o fim do imposto sindical?

Não. A greve não tem essa pauta. Grande parte dos sindicatos tem posicionamento contrário ao imposto sindical, e inclusive quando o governo que no inicio do ano tentou estender o recolhimento do imposto aos servidores públicos, os sindicatos dessa categoria foram contra. Na verdade quem tenta usar o imposto sindical como moeda de troca é o próprio governo, mas os trabalhadores não aceitarão. Queremos o fim das reformas da mesma forma que queremos o fim do imposto sindical.

7- Temer pode cortar o ponto dos servidores?

Temer anunciou que vai cortar o ponto dos servidores, mas como já foi dito acima, a greve é legal, e o governo não pode simplesmente cortar o ponto de grevistas. A questão do ponto terá que ser objeto de negociação futura entre o governo e a categoria. Orientamos que como forma de se resguardar de futuras perseguições os servidores assinem pontos paralelos como sempre fazemos nos processos de greve.